Planejamento de compras em datas comerciais é tendência, sugere Waze

Além da tendência de planejamento, app aponta outras duas particularidades na jornada do consumidor no período de pandemia

Data: 23-02-2021
Fonte: Consumidor Moderno
Autor: Felippe Constancio
Foto: Shutterstock

Um maior planejamento na compra está se mostrando como tendência nas datas comerciais, conforme aponta o Waze a partir de seus dados de navegação. O aplicativo viu uma volta às compras em lojas físicas marcada por antecipações, com seus dados de fluxo apontando para movimentações até 15 dias antes de datas comerciais.

O Waze – que trabalha com marcas em seu negócio de anúncios na plataforma – tem analisado dados e datas comerciais no intuito de entender como a jornada do consumo tem acontecido nos tempos de pandemia. Assim, o app espera oferecer percepções reverentes a medidas de segurança a varejistas.

Sobre a constatação de compras planejadas em vez de corre-corre de última hora, o Waze aponta que os dados mostram picos mais baixos, menos concentrados e mais extensos em relação aos anos anteriores.

Sazonalidade e omnicanalidade

Além da tendência de planejamento nas datas comerciais, o Waze aponta outras duas particularidades na jornada do consumidor no período de pandemia: a sazonalidade como fôlego ao varejo e a chegada da omnicanalidade.

Em relação à sazonalidade, o app viu a retomada nas navegações para lojas físicas acontecer de forma gradual, em grande parte por datas do segundo semestre, como Black Friday e Natal. De acordo com o Waze, que colocou janeiro de 2020 como mês base para esta análise, a navegação no app chegou a aumentar 105% durante a semana da Black Friday. Foi a primeira vez que o mês-base foi ultrapassado desde a pandemia. Mas não foi suficiente, já que o varejo físico registrou queda no faturamento de 25,5% em ralação a Black Friday de 2019.

Já na semana do Natal, a navegação subiu 118% na comparação com janeiro do ano passado.

Assim como as medidas de segurança, a omnicanalidade (interação e comunicação online e física das marcas) também chegou com força ao varejo. De acordo com o Waze, ainda que o e-commerce tenha crescido desde a pandemia, as lojas físicas permaneceram relevantes à jornada de consumo.

Para o app, a omnicanalidade se mostra uma tendência que levanta questões sobre como as marcas podem ajudar seus consumidores a irem às lojas físicas de forma mais segura e bem informada. Para isso, antes, é importante compreender as experiências digitais e presenciais como complementares – e não concorrentes entre si.

As opções híbridas de compra, lembra o Waze, promovem mais conveniência e comodidade aos consumidores – além da segurança no presente momento.

Drive-thru

Dados divulgados pela Abrasce (Associação Brasileira de Shopping Centers) recentemente apontaram que cerca de 95% dos centros comerciais de todo o Brasil voltaram já a funcionar em relação ao começo da pandemia, em março. Contudo, 50% deles devem manter o serviço drive-thru (ou retirada sem contato).

De acordo com dados do Waze, em novembro último, os shoppings já tinham recuperado 93% do fluxo de navegação em comparação com janeiro do ano passado, indicando uma normalização. O drive-thru, no entanto, tem se tornado estratégico para uma compra mais segura em pontos comerciais.

Por fim, os dados do app também mostram que o movimento nas ruas no País vem ultrapassando os níveis de navegação do período anterior à pandemia, particularmente durante a semana e às vésperas de datas comerciais.

Com a pandemia ainda sem hora para acabar, o comércio varejista precisa ficar atento e preparado para amadurecer soluções seguras para novos modelos de consumo, enquanto as marcas precisam estar prontas para ganhar mais relevância entre os consumidores, alerta o Waze.

NOTÍCIAS DO MERCADO​