Magalu compra startup Hubsales e avança ‘marketplace’ sobre a indústria

Magazine Luiza concluiu a aquisição da Hubsales, plataforma por meio da qual fabricantes oferecem seus produtos diretamente aos consumidores. Magalu avança num plano para trazer a indústria brasileira para o “marketplace” (shopping virtual) da empresa

Data: 31-07-2020
Fonte: ADVFN News
Autor: Bruno Torres

A varejista (BOV:MGLU3) informou o mercado nesta quinta (30). Até o momento, as ações da empresa valorizaram 68,13% em 2020. O resultado trimestral deve ser apresentado no dia 14 de agosto de 2020.

“A Hubsales auxilia o seller, nesse caso uma indústria, a fazer desde o cadastro e upload do catálogo nas plataformas, até a gestão de pedidos e marketing, garantindo qualidade das informações prestadas e acompanhamento do nível de serviço. Com essa expertise, o sortimento oferecido pelas indústrias ganha relevância nas plataformas e elas têm a oportunidade de escalar de forma significativa seus negócios por meio do e-commerce”, afirmou o Magazine Luiza.

A Hubsales recebe uma comissão pelo serviço prestado que é adicional ao take-rate já cobrado pelas plataformas. Esse modelo, já consolidado em países asiáticos, elimina intermediários, aumentando a margem da indústria e reduzindo os custos de distribuição.

Hoje, a Hubsales é uma das principais empresas do segmento F2C (Factory to Consumers) do setor de calçados e confecções, com foco na região de Franca/SP, movimentando mais de R$100 milhões e mais de 700 mil pedidos em termos anualizados.

“Com a aquisição, o Magalu entra com relevância no segmento Factory to Consumers (F2C) e, com a expansão da Hubsales, poderá integrar produtores de diversos outros pólos industriais espalhados pelo Brasil, contribuindo para a expansão do sortimento do Magalu”, destacou a companhia em comunicado.

Magalu afirmou que poderá ampliar os serviços prestados pela Hubsales às indústrias (sellers) oferecendo novas possibilidades de logística, pagamentos e tecnologia.

“A aquisição da Hubsales acelera a entrada de novas indústrias na plataforma marketplace do Magalu, o que representa mais um importante passo na estratégia da companhia de digitalização do varejo brasileiro”, afirmou a varejista.

A empresa não revela o valor da aquisição da Hubsales. É a sexta compra de startups em cerca de três anos — sem contar os negócios como Netshoes e Época Cosméticos. Trajano diz que negociações de compra de startups avançavam antes da pandemia, mas, com a crise sanitária, isso foi postergado. “Deveremos ter várias aquisições ao longo dos próximos meses, que ficaram paradas com a pandemia. Olhamos comércio eletrônico que operam nichos, outros em entrega, pagamento, e de tecnologia mais básica”, disse.

Dias atrás, a empresa informou que iria passar a oferecer “cashback” na venda por aplicativo. No passado, a empresa criticava a opção. “Nosso ‘cashback’ funciona no aplicativo que se faz a compra. Isso de baixar outro ‘app’ para então fazer a compra e receber o valor que não fazia sentido”, diz.

Na nota ao mercado publicada hoje sobre a operação, a empresa diz que a aquisição foi realizada por uma empresa controlada pelo Magalu.

ARTIGOS​

NOTÍCIAS DO MERCADO​