Consultoria mantém projeção de 1,86 milhão; queda abrupta das vendas em março deve ser recuperada no terceiro trimestre

X_noticia_30994[1]

Índice da IHS Markit aponta venda de 1,78 milhão de veículos leves em 2020

Data: 27-04-2020
Autoria: Pedro Kutney
Fonte: Automotive Business

Devido à queda abrupta das vendas de veículos nas duas últimas semanas de março, quando a média diária de emplacamentos caiu de 11 mil para 1 mil por dia útil, o índice SAAR (Seasonally Adjusted Annual Rate) calculado pela IHS Markit no mês passado passou a apontar para mercado total de apenas 1,78 milhão de automóveis e utilitários vendidos no Brasil em 2020, o que representaria retração de 33% em relação a 2019. O SAAR é uma transformação matemática que projeta o volume de emplacamentos do ano baseado no resultado de cada mês, com desconto da flutuação sazonal dos dados.

A consultoria, contudo, avalia que o desempenho do mercado brasileiro deverá ser um pouco melhor este ano, pois existe a perspectiva de recuperação gradual das vendas a partir do terceiro trimestre, com melhora mais substancial no quarto – conforme relatou o consultor Fernando Trujillo em Live #ABX20 transmitida na semana passado por Automotive Business.

Em um primeiro exame da situação feita na primeira semana de abril, as projeções de vendas da IHS Markit no mercado brasileiro aponta para menos de 150 mil veículos leves vendidos no segundo trimestre e queda de 30% em 2020, com 1,86 milhão de unidades.

A produção brasileira acompanha a queda do mercado interno, com igual retração de 30% este ano, para 1,94 milhão de automóveis e utilitários leves fabricados.

A IHS Markit considera a volta do crescimento em 2021, com vendas de quase 2,3 milhões de veículos no País, em alta de 23%, e avanço de 29% na produção, com 2,5 milhões.

SITUAÇÃO MAIS DETERIORADA NA ARGENTINA

No mesmo horizonte de tempo, a Argentina tem situação ainda mais deteriorada, com apenas 23 mil veículos vendidos no segundo trimestre deste ano e 260 mil em 2020 inteiro, o que representa queda de 41% ante 2019, segundo projeta a IHS Markit. A retração da produção argentina deverá ser de 20%, ainda com amparo das exportações para o Brasil.

Por esse motivo, o ritmo das fábricas no país vizinho tende a crescer mais do que as vendas domésticas em 2021, quando a IHS Markit espera que sejam vendidas 300 mil unidades, em crescimento de 15% sobre 2020, e produzidos 372 mil automóveis e utilitários, o que significará expansão de 40%, mas com volumes ainda muito baixos.

No Forecast da consultoria publicado mensalmente por Automotive Business, a IHS Markit também divulga as projeções de indicadores econômicos relevantes para o Brasil, incluindo PIB, inflação, juros (taxa Selic), câmbio e cotação do barril de petróleo.

notícias automotivo

Artigos

Notícias do Mercado