Caminhões somam 8,8 mil unidades em junho, melhor resultado de 2020

Segundo a Fenabrave, número só não foi mais expressivo por falta de veículos na rede

Data: 03-07-2020
Fonte: Automotive Business
Autor: Mário Curcio

Com a reabertura dos Detrans em diferentes praças do País, os caminhões emplacados em junho somaram 8,8 mil unidades (melhor resultado mensal de 2020), registrando alta de 12,3% sobre o mesmo mês de 2019. Na comparação com maio de 2020 o crescimento foi de 85%. Segundo a Fenabrave, entidade que reúne as associações de concessionários, o resultado mensal só não foi melhor pela falta de alguns modelos em estoque.

“Faltam caminhões com capacidade de carga acima de 30 toneladas para o agronegócio. Só conseguiremos entregar em outubro os pedidos feitos agora. As fábricas estavam paradas e também faltaram componentes de fornecedores que igualmente haviam parado”, afirma o presidente da Fenabrave, Alarico Assumpção Júnior.

 

No acumulado do primeiro semestre foram licenciados 37,6 mil caminhões, resultando em queda de 19,7% ante o mesmo período do ano passado. Com a recuperação dos emplacamentos em junho, a Fenabrave decidiu revisar suas projeções para 2020 e prevê que até o fim do ano sejam licenciados 82,8 mil caminhões, resultando em queda de 18,6%. Antes da crise provocada pelo coronavírus, a projeção era de alta de 24% e 126,1 mil unidades licenciadas.

RECUPERAÇÃO MENOR PARA ÔNIBUS

O total de ônibus emplacados em junho foi de 1,3 mil unidades, anotando alta de 58% sobre maio, mas a comparação com junho de 2019 revela queda expressiva, 34,1%. O setor foi o mais afetado porque todos os segmentos de vendas tiveram retração por causa da Covid-19: turismo, transporte rodoviário e transporte urbano. O acumulado do semestre teve apenas 7,9 mil ônibus licenciados, resultando em queda e 36,5% pela comparação com igual período de 2019.

No início do ano a Fenabrave projetava 31,5 mil ônibus licenciados no País e alta de 16% sobre 2019. A nova previsão é de queda de 39,1%, com apenas 16,5 mil unidades licenciadas em todo o ano de 2020. A entidade revisou todas as projeções para 2020.

ARTIGOS​

NOTÍCIAS DO MERCADO