Tecnologia utilizada na construção de reservatório ajudou a superar os grandes desafios do solo de arenito

a5803-41366711010_b920a0a901_c_mobile[1]

Agricultores paranaenses apostam em irrigação inteligente

Data: 27-03-2020
Autoria: Cristina Arinelli
Fonte: Grupo Cultivar

Historicamente, o Estado do Paraná tem a agricultura como uma das principais atividades econômicas e vem se destacando no cenário do agronegócio brasileiro pelo aumento constante da produtividade e da qualidade dos produtos ofertados. A produção abrange os cultivos de arroz, milho, trigo, soja e feijão, além de algodão, amendoim, cana de açúcar, hortaliças, entre outros produtos.

Entre os principais fatores que contribuem para esse grande e diversificado desempenho, estão a organização dos produtores via cooperativas, o apoio do Estado e principalmente, o investimento em novas tecnologias. Neste contexto, em 2019, teve início o amplo Programa de Irrigação para o Noroeste do Paraná, denominado Projeto Arenito 3.1, com iniciativa da Secretaria da Agricultura e do Abastecimento, apoio da Cooperativa Cocamar e realizado pela Universidade Estadual de Maringá. Essa região de cerca de 3 milhões de hectares possui solo de Arenito Caiuá e grande déficit hídrico. A iniciativa busca, então, a irrigação inteligente, a correção do solo, e o, consequente, aumento da produtividade.

Entre os vários benefícios oferecidos pelo Programa de Irrigação, encontram-se a redução de custos, em especial, de equipamentos, através de isenção de ICMS, as linhas de crédito junto ao Banco Regional e Desenvolvimento Econômico (BRDE) com juros entre 1% a 3%, a agilização na concessão de licença para a utilização de água dos rios e a parceria com a Companhia Paranaense de Energia (Copel) para a ampliação técnica da capacidade de transmissão de energia com mais segurança, entre outros pontos.

A Nortène tem sido grande parceira do Programa de Irrigação para o Noroeste do Paraná, fornecendo as tecnologias mais adequadas para diferentes aplicações. “Para este projeto, auxiliamos diretamente no plantio da safra de verão da soja 2019/2020, com o suporte de um reservatório de oito milhões de litros revestido com geomembrana desenvolvida especialmente pela Nortène”, destaca Edson Marques, Gerente Comercial de Geossintéticos, da Nortène.

“A tecnologia aplicada à geomembrana e utilizada na construção do reservatório viabilizou o processo de irrigação, superando os grandes desafios do solo de arenito. Desta forma, os agricultores puderam plantar e colher três safras anuais de soja ao suprir o consumo maior de água pelas plantas na época do verão, resultando assim, em um aumento da produtividade de grãos para o Estado do Paraná”, finaliza Marques.  

notícias agronegócio

Artigos

Notícias do Mercado