Abiesv ajuda varejistas na reabertura das lojas

Data: 05-06-2020
Autoria: Cleide de Paula
Fonte: eMóbile

Para colaborar com o varejista na reabertura das lojas de modo que seu cliente se sinta seguro, a Associação Brasileira da Indústria de Equipamentos e Serviços para o Varejo (Abiesv) lançou o Projeto ‘Loja + Segura’ , que tem um guia com uma série de orientações de medidas a serem tomadas de prevenção ao Covid-19, seguindo as normas da Organização Mundial de Saúde – OMS e as melhores práticas adotadas nos mercados nacionais e internacionais, que reabriram o seu comércio.

Ao entrar no portal, o lojista terá acesso a formulários on-line, que preenchidos comprovarão a adoção das medidas de proteção e darão o direito ao estabelecimento de usar o Selo ‘Loja + Segura’. O projeto tem a parceria tecnológica da InfoGo, startup que digitaliza processos internos de empresas por meio do uso de aparelhos celulares e o apoio da Confederação Nacional dos Dirigentes Lojistas – CNDL.

Selo de qualidade

Além de um roteiro completo de higiene, o Loja + Segura pretende ser um selo de qualidade e compromisso do estabelecimento com as práticas mais modernas de limpeza e cuidados com o cliente.

“É fundamental que, ao retornar, a loja demonstre aos seus clientes uma preocupação verdadeira com a situação atual. Que empresários e colaboradores estejam engajados neste processo, pois a execução dessas medidas será a diferença para manter a loja aberta. Os consumidores têm que perceber, claramente, este cuidado e se sentirem seguros em frequentar o ambiente”, afirma Marcos Andrade, presidente da Abiesv e CEO da Expor Manequins.

Check-list diário auxilia na reabertura das lojas

Após ler e fazer as adaptações necessárias em sua loja, o varejista deve responder ao questionário de cadastramento — bastando entrar pelo telefone, escanear o QR Code e preencher os formulários do cadastro inicial e depois o check-list diário, uma boa forma de controlar tudo por meio de checagens periódicas digitais.

Assim, receberá e poderá ostentar o selo ‘Loja + Segura’ – e aplicar na vitrine e mídias sociais -, que comprova estar seguindo um protocolo de ações com atitudes que protegem o ambiente e a todos.

“O empresário ganha o selo ao colocar em prática as sugestões da Cartilha, comprovadas pelo preenchimento do check-list com fotos do local”, explica Marcos Andrade.

E os clientes também poderão conferir que a loja é segura ao ver o selo e se quiserem, também, poderão escanear o QR e checar todas as medidas tomadas, comprovando que a loja seguiu nas recomendações. O consumidor tem um papel importante nesse processo, porque o sistema o permite denunciar o estabelecimento, caso o lojista esteja descumprindo os compromissos que assumiu.
Digitalização das lojas

“Nesta nova era, as empresas trabalharão de forma mais enxuta e, para isso, terão que passar pela digitalização de seus processos internos, no dia a dia. As empresas que não digitalizarem suas rotinas perderão competitividade, pois o foco agora deve ser os custos, mais do que as vendas”, explica Marcus Taccola, CEO da InfoGo.

Segundo o executivo, a parceria com a Abiesv é importante para padronizar todas as medidas de segurança necessárias para o varejo e, após esse período, manterá o propósito de digitalizar processos inerentes à operação. “É um trabalho que só agrega e dá início à transformação digital necessária para qualquer negócio”, completa.

Dicas para adaptar a loja

A seguir as providências que a loja deve tomar no ambiente, inclusas na cartilha. Para ver as demais orientações para a reabertura das lojas, acesse www.lojamaissegura.com.br:

#1 – Determine a quantidade de clientes que poderão ser atendidos simultaneamente. As primeiras determinações no Brasil estipulam 50% da quantidade permitida em seu alvará de funcionamento. (Consulte se há alguma legislação local que altere este entendimento – Seu contador poderá ajudá-lo com isso)

#2 – Afixe cartazes informativos para seus funcionários e clientes em locais estratégicos. Para funcionários, no refeitório, banheiros, corredores de acesso.

#3 – Crie espaçamento na loja, isto pode incluir retirada de equipamentos e curadoria / redução de quantidade ou SKU de produtos, permitindo melhor fluxo e corredores mais largos. Lembre-se que a percepção do cliente é importante para construir a sensação de segurança.

#4 – Aumente o espaço entre postos de trabalho.

#5 – Afaste mesas no refeitório e crie turnos que diminuam a aglomeração no mesmo tempo.

#6 – Crie turnos de trabalho reduzindo a quantidade de funcionários ao fluxo de clientes.

#7 – Crie horário para atendimento de grupos de risco – divulgar.

#8 – Crie espaço de espera para eventuais clientes quando a capacidade total da loja estiver sendo utilizada. Espaçamento/abrigo do sol e chuva/eventual, com agrado (água, suco, etc).

#9 – Implemente a sinalização de sentido único nos corredores e a sinalização do espaçamento de 1,5 m de distância nos caixas.

#10 – Faça o “envelopamento” em filme plástico das máquinas de cartão.

#11 – Determine e abasteça os pontos de distribuição de álcool gel na loja, determinando responsáveis pela reposição dos mesmos.

#12 – Promova o espaçamento dos assentos em lojas de calçados e provadores em lojas de moda.

#13 – Assegure que todos funcionários tenham equipamentos de proteção, máscaras e todo o necessário para sua proteção. Determinar quem deverão procurar caso necessitem.

#14 – Coloque painéis de isolamento nos caixas.

#15 – Verifique a possibilidade de ofertar visitas agendadas e coleta na loja ou drive-thru.

notícias varejo

Artigos

Notícias do Mercado