Serviços de streaming ganham impulso em 2020 e ameaçam o cinema com produções próprias

Um dos principais motivos para tanto sucesso é a capacidade que essas plataformas possuem para oferecer um conteúdo personalizado

Data: 08-01-2021
Fonte: São Joaquim Online
Autor: Redação São Joaquim Online

O entretenimento foi uma das áreas que mais sentiu a crise deste ano, principalmente se olharmos para as produções audiovisuais. As plataformas de streaming bateram todos os recordes de audiência e, como resultado, começaram a ameaçar o domínio da indústria do cinema. Com cada vez mais produções inéditas, e uma preferência do público por seriados, esses serviços digitais parecem cada vez mais populares.

Segundo alguns números divulgados pela Nielsen Brasil, as principais plataformas de streaming no Brasil conseguiram entre março e maio deste ano uma audiência próxima da Rede Globo. Ou seja, serviços como da Netflix e da Amazon Prime Video possuem cerca de 15% de market share e mais de 30% de participação no mercado. Números que mostram a força desse serviço digital, e também a perspectiva para o futuro.

Além disso, a pesquisa realizada também mostrou que quase 43% dos brasileiros assistem diariamente algum conteúdo nas plataformas de streaming, enquanto quase a mesma quantidade consome uma vez por semana. Ou seja, quase metade das pessoas que consomem filmes, séries e documentários no Brasil possuem uma assinatura nestes serviços e acessam quase que todo dia para ver algo novo.

Esses números explicam porque algumas produções exclusivas desses serviços de streaming estão fazendo tanto sucesso. Por exemplo, no final de 2020, nós comentamos sobre a sensação que foi o filme O Céu da Meia-Noite, que foi produzido pela Netflix e bateu alguns recordes de audiência da plataforma. A história e a qualidade do filme ganharam destaque entre os fãs e críticos de cinema.

Conteúdo personalizado

Um dos principais motivos para tanto sucesso é a capacidade que essas plataformas possuem para oferecer um conteúdo personalizado. Por exemplo, se a pessoa gosta de assistir mais filmes de ação e aventura, o próprio serviço já indica produções dessa área para o usuário. Enquanto a plataforma sabe qual o tipo de conteúdo está sendo mais consumido e faz mais sucesso com a audiência. Assim, é possível investir em produções de gêneros que estão em alta no momento certo.

Essa personalização é, na verdade, uma característica muito comum em qualquer formato de entretenimento digital, e não é nada exclusivo das plataformas de filmes e seriados. Os serviços de streaming de música, por exemplo, também costumam oferecer catálogos com listas que agradam qualquer gosto musical, desde o rock até o sertanejo. A mesma coisa acontece com os jogos de cassino online, como é o caso das slots machines gratuitas, que possuem jogos com temáticas diferentes justamente para alcançar o máximo de público possível. Esses são apenas dois exemplos mais populares, porém poderíamos citar também as plataformas de compartilhamento de vídeo, assim como também as redes sociais, que estão lotadas de conteúdos personalizados pensando no usuário como pessoa e não como número.

Com maior controle do conteúdo que assiste, as pessoas estão começando a mudar a forma de consumir entretenimento. No início desse ano, a Netflix e a Globo Play confirmaram que, desde 2019, ultrapassaram a barreira dos 15 milhões de inscritos e que possuem mais assinantes que qualquer TV paga. A expectativa para o futuro é que esse número continue aumentando e batendo recordes.

Preferência por seriados

Apesar de termos falado sobre o filme que fez sucesso na Netflix no final do ano passado, é importante perceber que não são eles que dominam a audiência nos serviços de streaming. Na verdade, os seriados são os grandes responsáveis pelo sucesso das plataformas, principalmente em produções exclusivas. Títulos como Cobra Kai e The Boys, por exemplo, estão em todas as listas de séries mais assistidas e são exclusivamente online.

Uma forma de notar essa mudança é ver a presença de atrizes e atores famosos nesses seriados, algo que não acontecia antigamente. Jude Law, Meryl Streep, Nicole Kidman e Idris Elba são alguns dos nomes que trocaram a presença exclusiva em filmes para participar também de seriados famosos. Esses são apenas alguns exemplos, pois quase todos os artistas atuais estão participando de alguma produção em formato de série.

O entretenimento digital está ganhando cada vez mais espaço, e o ano de 2020 serviu para consolidar de vez essa mudança. A crise mostrou que as plataformas de streaming conseguiram crescer em um período complicado, e não vão perder espaço no futuro. Assim, é fácil perceber a mudança de comportamento no consumo de filmes e séries, com o cinema começando a perder espaço para o conteúdo mais personalizado e acessível que são os serviços de streaming.

NOTÍCIAS DO MERCADO​