Prime Action Consulting

Notícias Setoriais

Sexta-feira, 09 de Fevereiro de 2018 | Fenabrave / Autodata
Jaguar Land Rover traz motor novo e estuda exportações
Redação Autodata

Depois de cumprir com as cotas de emissões estipuladas pelo Inovar-Auto a Jaguar Land Rover inseriu o Brasil no contexto de uma nova versão de motor de baixa emissão e anunciou que a linha Ingenium será parte integrante das versões 2018 dos modelos Land Rover Discovery Sport e Range Rover Evoque produzidos em Itatiaia, RJ.

De acordo com Vinícius Frata, gerente de produto para a América Latina, os motores serão importados da matriz, na Inglaterra. Sua principal característica, a redução de emissões sem reduzir a potência do conjunto, é tornada viável pela instalação de um segundo turbo sequencial que funciona apenas quando o veículo demanda alta-rotação. A empresa não respondeu se o conjunto virá montado ou se virá em kits para montagem local.

A versão a gasolina substitui a motor GTDi usado na linha Range Rover Evoque desde seu lançamento, em 2011. Os 240 cv de potência seguem mantidos no novo equipamento. Há também uma versão a diesel que entrega os mesmos 240 cv -- a versão anterior, de 2016, tinha 180 cv. A empresa informou que as versões equipadas com os novos motores já estão disponíveis em sua rede de distribuição.

O mercado de SUVs, no qual estão inseridos os dois modelos produzidos aqui pela JLR, é o que mais cresceu nos últimos anos. Foram 414 mil 547 unidades vendidas no ano passado, modelos nacionais e importados, ou 22,34% de todo o mercado de 2017. Em 2016 a participação foi de 17,98%. É o segundo segmento que mais vende veículos no Brasil segundo dados do Renavam.

Os modelos nacionais da empresa mantiveram o volume de vendas no contexto de crescimento verificado no mercado de SUVs: o Discovery foi o modelo mais vendido pela empresa no ano passado, 3 mil 566 unidades, um pouco abaixo das 3 mil 933 de 2016. No caso do Evoque foram 1 mil 995 unidades vendidas em 2017, um pouco mais que as 1 mil 956 de 2016.

Segundo Vinícius Frata a companhia mantém, hoje, no Brasil, cerca de trezentos funcionários e “atua de acordo com a demanda de mercado". A empresa não exporta a partir de Itatiaia. No entanto, ele disse, há estudos a respeito da viabilidade de expansão dos negócios da unidade para outros mercados.

Compartilhe:

FILTRE SUA BUSCA POR SEGMENTO


FILTRE SUA BUSCA POR EXPERTISE


FILTRE SUA BUSCA POR AUTOR