Prime Action Consulting

Notícias Setoriais

Quarta-feira, 06 de Fevereiro de 2019 | Diário Prime
Bancos oferecem linha de crédito pessoal com menores juros para pagar dívida do cheque especial
Anna Schwartz

Crédito Pessoal – Mais de 14 milhões de ofertas  para os consumidores migrarem do  cheque especial para uma linha de crédito  pessoal  com parcelamento, foram enviadas pelos bancos aos seus clientes entre junho e dezembro de 2018.

Foto: (Marcos Santos/USP Imagens)

De acordo com a Federação Brasileira de Bancos (Febraban), mais de 5,2 milhões de débitos no cheque especial foram convertidos, no ano passado, em linhas de crédito pessoal alternativas  com um  custo mais baixo.

O cheque especial é a modalidade de linha de  crédito com a maior taxa de juros do mercado para as pessoas físicas. Em dezembro de 2018, chegou a 312,6% ao ano ou 12,5% ao mês. A taxa média dos juros do crédito pessoal é muito menor, 107,3% ao ano, 6,3% ao mês.

Em 2018, 12 bancos anunciaram uma medida de autorregulação com o objetivo de oferecer uma alternativa ao cheque especial, com taxas mais baixas. Desde julho, os clientes que utilizam mais de 15% do limite do cheque durante 30 dias consecutivos passaram a receber a oferta de um parcelamento, com taxa de juros menores, a título de crédito pessoal.

Cheque especial deve ser usado apenas em emergências

A Febraban defende que o cheque especial seja usado somente para emergências e por curto espaço de tempo. Para a federação, o uso apropriado do cheque especial levará à redução da inadimplência e, consequentemente, da taxa de juros da modalidade.

No último dia 29 de janeiro, ao apresentar os dados sobre crédito em 2018, o chefe do Departamento de Estatísticas do Banco Central, Fernando Rocha, disse que a alta da taxa média do cheque especial em dezembro ocorreu porque uma instituição financeira aumentou os juros dessa modalidade.

Além disso, os clientes que permaneceram no cheque especial em dezembro, mês de pagamento do 13º salário, são avaliados com maior risco de inadimplência pelos bancos e pagam juros mais caros.

Saldo do cheque especial subiu em 2018

Em dezembro de 2018, segundo dados do Banco Central, o saldo do cheque especial chegou a R$ 21,895 bilhões, com aumento de 0,6% em relação ao mesmo período do ano anterior. Tudo isso justifica a iniciativa dos bancos em apresentar uma alternativa de crédito pessoal aos seus clientes.

Então, independentemente das notificações ou cartas do banco oferecendo um crédito pessoal alternativo com menores juros, cabe ao cliente que está devendo cheque especial procurar linha alternativa para quitação da dívida, junto à sua instituição financeira.

Compartilhe:

FILTRE SUA BUSCA POR SEGMENTO


FILTRE SUA BUSCA POR EXPERTISE


FILTRE SUA BUSCA POR AUTOR